5 de mar de 2011

" Onde não há amor, põe amor e encontrará amor! "

Muitas vezes Jesus se afastava das multidões que o seguiam e retirava-se para um ermo onde pudesse entregar-se à contemplação. Antes de iniciar a sua vida pública, recolheu-se a um deserto, onde sua natureza humana foi posta à prova. A seus discípulos igualmente, ao voltarem da missão, retirava-se com eles para que pudessem na solidão estar a sós com Deus. Foi no silêncio e na solidão que Elias ouviu a voz de Deus  na  suavidade de uma brisa. Na contemplação, os profetas, em recolhimento, sentiram o chamado e deixaram-se impregnar pelo Espírito, adquirindo forças para sua missão. 
O silêncio e o recolhimento na oração foram e são marca constante na Igreja.
Santa Tereza afirmava que Deus sempre quer nos falar, mas o mundo faz tanto barulho que não o podemos ouvir.
O retiro nos leva às condições para a realização desta grandeza humana.
No silêncio e na oração, Deus nos revela sua face e nos fortalece como fortaleceu a Cristo nas tentações.
Por atos penitenciais e de fé, no arrependimento, encontraremos a misericórdia de Deus no perdão. Nele apoiados planejamos uma vida nova.
Então o retiro, o recolhimento e a oração tornam-se mais necessários para superarmos as forças negativas e nos realizarmos como pessoas criadas à imagem e semelhança de Deus, nos tornarmos à imagem de Cristo.    

Um comentário:

  1. "O nosso coração vive em silêncio quando tem Deus como o principio e o fim, e quando Deus é a fonte única de nossas afeições..."
    No Recolhimento aprendemos e nos recordamos disso!Parabéns pela bela Reflexão!

    ResponderExcluir