28 de jul de 2011

Sinal particular da união com Jesus e Maria


Papa convida a usar o Escapulário

CASTEL GANDOLFO, segunda-feira, 18 de julho de 2011 – Bento XVI convidou, neste domingo, a usar o escapulário de Nossa Senhora do Carmo, como “um sinal particular da união com Jesus e Maria”.

O Pontífice recomendou, em polonês, que se use este objeto de tecido, de cor marrom, que se pendura no pescoço, no final do seu encontro com os peregrinos por ocasião do Ângelus.

Não parece coincidência que o Santo Padre tenha dito estas palavras em polonês, pois João Paulo II usava o escapulário desde a sua juventude e via nele um símbolo de “defesa nos perigos, selo de paz e sinal do auxílio de Maria”.

As palavras de Bento XVI ressoavam um dia depois da celebração da memória de Nossa Senhora do Carmo, que recorda este gesto de devoção.

“O escapulário é um sinal particular da união com Jesus e Maria – disse. Para aqueles que o usam, constitui um sinal do abandono filial na proteção da Virgem Imaculada. Em nossa batalha contra o mal, que Maria, nossa Mãe, nos cubra com seu manto”, concluiu.

(Fonte: http://www.zenit.org/article-28492?l=portuguese)

24 de jul de 2011


" Olha pra ti, não precisas de espelho
Mas olha dentro do teu coração
Aceita a Jesus Cristo
E tudo terás em tuas mãos. "

- Adriana

23 de jul de 2011

Site da Ordem Terceira do Carmo, de Campos dos Goytacazes




Durante o Solene Novenário de Nossa Senhora do Carmo deste ano, a Venerável Ordem Terceira do Carmo lançou seu novo site: www.soucarmelita.com.br.

O site está muito bem organizado: Fotos, downloads de livros, notícias... Vale a pena conferir!

22 de jul de 2011



Professor:
- Eu vou provar para vocês, que se Deus existe, então ele é mal. Deus criou tudo que existe? Se Deus criou tudo, então Ele criou o mal. O que significa que Deus é mal.
Aluno:
- Com licença, professor... O frio existe?
Professor:
- Que tipo de pergunta é essa? Claro que ele existe. Você nunca ficou com frio?
Aluno:
- Na verdade senhor, o frio não existe. De acordo com as leis da física, o que nós consideramos frio é na verdade ausência de calor. Professor, a escuridão existe?
Professor:
- Claro que existe.
Aluno:
- Você está errado senhor, a escuridão também não existe. A escuridão é na realidade ausência de luz. A luz nós podemos estudar, mas não a escuridão. O mal não existe. É a mesma coisa da escuridão e do frio. Deus não criou o mal. O mal é o resultado do que acontece quando o homem não tem o amor de Deus presente em seu coração.

(Albert Einstein) 

O jovem diante do sofrimento.


Cercada de anúncios e outdoors por todos os lados, a juventude de hoje acostuma-se a, cada vez mais, ser a principal vítima e fonte de lucro da mídia e da publicidade. 
Nessa dependência, vêem-se forçados, sob pena de serem excluídos dos grupos, a aceitá-las e abrem mão dos valores que deveriam nortear as suas vidas. 
Valores esses que lhes permitiriam viver, de maneira autêntica, alicerçados de uma personalidade e inspirados por uma sincera liberdade.
Afastam-se de Deus e da missão que Ele lhes confia por uma felicidade momentanea. 
As pessoas tem um medo incontrolável de abraçar as dores e as cruzes do cotidiano. Como lhes é ensinado que o sofrimento é prejudicial e deve ser evitado a todo custo, cria-se jovens imaturos e incapazes de amar.
Abraçar com fé a dor que é imposta pelos revezes da vida deve ser, para os jovens cristãos, sinal de desafio e profunda felicidade, pois é por meio dela que a personalidade vai se moldando de maneira bela e santa. E também é por ela que nós nos unimos cada vez mais a Deus. 
As provações, também são sinais de que Deus lembra de nós.
E isso deveria ser o motivo que basta pra sermos então, felizes!
O jovem de hoje, que vive perdido em busca do caminho verdadeiro da felicidade deve entender, então, que ela não se encontra somente no bem-estar pregado pelo consumismo e pela mídia, mas, principalmente, na sábia aceitação das provações, que é desafio e fonte de intensa riqueza espiritual. E que só assim cresceremos como seres humanos.

19 de jul de 2011

Nossa Senhora do Monte Carmelo


Foi na madrugada do dia 16 de julho de 1251 que Nossa Senhora apareceu ao santo carmelita inglês, São Simão Stock, e entregou-lhe o miraculoso Escapulário do Carmo. São Simão Stock era, naquele tempo, Superior Geral da Ordem dos Carmelitas, e se encontrava em uma situação bastante aflita, pois sua Ordem passava por dificuldades muito sérias, sendo desprezada, perseguida e até ameaçada de extinção. Homem de uma fé viva, São Simão não cessava de implorar socorro à Santíssima Virgem, e pedia também um sinal sensível de que seria atendido. Comovida pelas súplicas angustiantes deste seu fervoroso filho, Nossa Senhora lhe trouxe do Céu o Santo Escapulário e dirigiu-lhe estas palavras:


"Recebe, filho diletíssimo, o Escapulário de tua Ordem, sinal de minha confraternidade, privilégio para ti e para todos os Carmelitas".

"Todos os que morrerem revestidos deste Escapulário não padecerão o fogo do inferno. É um sinal de salvação, refúgio nos perigos, aliança de paz e pacto para sempre".


A partir dessa misericordiosa intervenção da Mãe de Deus, a Ordem carmelita refloresceu em todo o mundo! E o Escapulário passou a percorrer sua milagrosa trajetória, como sinal de aliança de Nossa Senhora com os Carmelitas e com toda a humanidade.

Setenta anos mais tarde, Nossa Senhora apareceu ao Papa João XXII e lhe fez nova promessa, considerada como complemento da primeira:


"Eu, como terna Mãe dos Carmelitas, descerei ao purgatório no primeiro sábado depois de sua morte e os livrarei e os conduzirei ao Monte Santo da vida eterna."


Essa segunda promessa de Nossa Senhora deu origem à célebre Bula Sabatina do Papa João XXII, publicada em 03 de março de 1322, confirmada posteriormente por vários Sumos Pontífices como Alexandre V, Clemente VII e Paulo III. De início, o Escapulário era de usa exclusivo dos religiosos Carmelitas. Mais tarde, a Igreja, querendo estender os privilégios e benefícios espirituais desse uso a todos os católicos, simplificou seu tamanho e autorizou que sua recepção ficasse ao alcance de todos.


PRIVILÉGIOS DO ESCAPULÁRIO


"Não, não basta dizer que o Escapulário é um sinal de salvação. Eu sustento que não há outro que faça nossa predestinação tão certa..."

(São Cláudio de la Colombière, S.J.)


1. É um sinal de aliança com Nossa Senhora. Por seu uso, exprimimos nossa consagração a Ela;

2. É um sinal de salvação. Quem morrer com ele não padecerá o fogo do inferno;

3. A Santíssima Virgem livrará do purgatório, no primeiro sábado depois da morte, todos os que o portarem;

4. É um sinal de proteção em todos os perigos.


CONSAGRAÇÃO A NOSSA SENHORA


O Escapulário do Carmo, enquanto dádiva da Santíssima Virgem, é símbolo de uma consagração.

Foi a própria Mãe de Deus que aludiu a essa consagração, quando disse a São Simão Stock, na gloriosa madrugada de 16 de julho de 1251:


"...é um pacto de paz e amizade que faço contigo e todos os carmelitas...".


É como se dissesse: quero que este pacto que faço convosco, fundamentado em eterna amizade,seja expresso pelo meu Escapulário, como símbolo da consagração que fazeis a mim ao recebê-lo.



Rezemos com São Simão Stock:


“Flor do Carmelo,
Videira florida,
Esplendor do Céu,
Virgem Mãe singular.
Mãe doce e benigna,
mas sempre Virgem,
aos carmelitas,
sê tu propícia.
Estrela do mar."