22 de jul de 2011

O jovem diante do sofrimento.


Cercada de anúncios e outdoors por todos os lados, a juventude de hoje acostuma-se a, cada vez mais, ser a principal vítima e fonte de lucro da mídia e da publicidade. 
Nessa dependência, vêem-se forçados, sob pena de serem excluídos dos grupos, a aceitá-las e abrem mão dos valores que deveriam nortear as suas vidas. 
Valores esses que lhes permitiriam viver, de maneira autêntica, alicerçados de uma personalidade e inspirados por uma sincera liberdade.
Afastam-se de Deus e da missão que Ele lhes confia por uma felicidade momentanea. 
As pessoas tem um medo incontrolável de abraçar as dores e as cruzes do cotidiano. Como lhes é ensinado que o sofrimento é prejudicial e deve ser evitado a todo custo, cria-se jovens imaturos e incapazes de amar.
Abraçar com fé a dor que é imposta pelos revezes da vida deve ser, para os jovens cristãos, sinal de desafio e profunda felicidade, pois é por meio dela que a personalidade vai se moldando de maneira bela e santa. E também é por ela que nós nos unimos cada vez mais a Deus. 
As provações, também são sinais de que Deus lembra de nós.
E isso deveria ser o motivo que basta pra sermos então, felizes!
O jovem de hoje, que vive perdido em busca do caminho verdadeiro da felicidade deve entender, então, que ela não se encontra somente no bem-estar pregado pelo consumismo e pela mídia, mas, principalmente, na sábia aceitação das provações, que é desafio e fonte de intensa riqueza espiritual. E que só assim cresceremos como seres humanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário