27 de fev de 2011

A parábola do semeador


Certa vez Jesus contou uma parábola belíssima que sintetizava a sua grande missão: a parábola do semeador.
Ele simbolizou e classificou o coração humano em vários tipos de solos. 
Ele classificou o coração emocional e intelectual do ser humano pela sua receptividade, desprendimento e disposição para aprender. A memória era solo que deveria receber sementes que, uma vez desenvolvidas, deveriam frutificar.
Frutificar no território da emoção e dos pensamentos. Frutificar amor, paz, segurança, sensibilidade, solidariedade, perdão, mansidão, a capacidade de se doar, habilidade de pensar antes de reagir. 
Ele conquistava o espírito das pessoas, o cerne do ser humano gerando inspiração, desejo ardente de mudança, criatividade e arte de pensar. Ele plantava sementes no solos conscientes e inconscientes da memória de seus seguidores objetivando que elas transformassem suas personalidades ao longo da vida.  
O mestre dos mestres era um plantador de sementes.
Semeiou em quatro tipos de solo.
No primeiro tipo, o solo que representa um caminho, pessoas que não estão abertas para algo novo e, portanto, não estão dispostas a aprender. No segundo tipo, o solo rochoso, Jesus se referiu às pessoas que se enganaram por achar que segui-lo traria uma vida fácil, sem dificuldade alguma. O terceiro tipo, o solo com espinhos, representa as pessoas mais profundas e sensatas, que venceram as dificuldades externas para manter a fé, mas que sucumbiram diante das dificuldades internas, do seu próprio “eu”. Por fim, a boa terra representa as pessoas que compreenderam a palavra de Jesus, refletiram sobre ela e permitiram que ela habitasse no seu ser.
Então, que tenhamos o coração dócil para receber e compreender a palavra de Jesus.
Deixemos que Sua palavra crie raizes e seus frutos tomem todo o nosso ser.


( Adaptação baseada em O mestre inesquecível - Augusto Cury )

2 comentários:

  1. Muito bonito o texto!
    Parabéns pela atualização do blog!(Este é o Evangelho de hoje!)
    Abraços,
    José Eduardo e Fabiana

    ResponderExcluir
  2. Um belo texto que nos ajuda a aprofundar o Evangelho deste domingo.
    Muito bom!

    ResponderExcluir