22 de jun de 2011

Um pouco da história da Festa de Corpus Christi


As origens remotas da festa de Corpus Christi encontram-se no desenvolvimento do culto da Eucaristia durante a Idade Média. As disputas doutrinárias entre Pascasio Radbertus († 865) e Ratramno de Corbie († 868), e especialmente entre Berengário de Tours († 1088) e Lanfranco de Pavia († 1089), levaram a um esclarecimento da doutrina da Presença Real de Cristo no Sacramento e, portanto, um culto mais sincero e difuso da Eucaristia.


No século XIII, manifesta-se um movimento mais amplo de devoção eucarística entre as pessoas e também entre os teólogos, com um forte contributo da nova ordem franciscana. O IV Concílio de Latrão (1215), afirmando a doutrina da Igreja com a fórmula da transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e Sangue de Cristo, levou ao desenvolvimento do culto eucarístico. O próprio Concílio prescrevia a obrigação da comunhão pascal anual e da reserva da Eucaristia em um local seguro. E na liturgia dissemina-se a prática de elevar a hóstia e o cálice durante a Missa pelo desejo dos fiéis de ver e de adorar as espécies consagradas.


A solene celebração de Corpus Christi, tal como a conhecemos hoje, é devido à inspiração da religiosa flamenga Santa Juliana de Cornillon (1191-1258). A festa, instituída na diocese de Liège, na Bélgica atual, em 1246 e espalhou-se rapidamente, graças aos esforços do flamengo James Pantaleone de Troyes, mais tarde eleito Papa Urbano IV (1261-1264). Ele incluiu a festa no calendário litúrgico com a bula Transiturus de hoc mundo, 11 de agosto, 1264. No entanto, devido a diferentes eventos, será celebrada em toda a Igreja somente após o Concílio de Viena (1311-1312).


De acordo com a vida de Santa Juliana, o próprio Cristo disse que o principal motivo para querer esta nova festa, era recordar a instituição do Sacramento do seu Corpo e Sangue de maneira particularmente solene, o que não era possível na Quinta-Feira Santa, quando o liturgia é marcada pelo lava-pés e pela Paixão do Senhor. Este festa seria um incentivo de fé e de graça para os cristãos a participar com mais atenção àquilo que vivem nos dias ordinários com menos devoção ou até mesmo com negligência.


A festa foi marcada para quinta-feira após a oitava de Pentecostes, a primeira quinta-feira após o Tempo Pascal, de acordo com o calendário litúrgico do usus antiquior. A festa é tão claramente ligada à Quinta-Feira Santa, e manifesta o seu caráter essencial: "Na festa de Corpus Christi, a Igreja revive o mistério da Quinta-Feira Santa à luz da Ressurreição".

Nenhum comentário:

Postar um comentário