15 de abr de 2011

Dia de oração pela católica condenada à morte no Paquistão


Asia Bibi, a cristã condenada à morte pela lei de blasfêmia e presa em uma penitenciária de Sheikupura, no Paquistão, agradeceu a todos aqueles que rezarão por ela no Dia Especial de Oração, no próximo 20 de abril. ''Sinto-me amada pela Igreja Católica e por todas as comunidades cristãs do mundo'', disse Asia Bibi.

Nesta data, as comunidades cristãs de todo o mundo são convidadas a recordar Asia Bibi e as vítimas inocentes da lei contra a blasfêmia que condena sem necessidade de testemunhas os acusados de blasfemar contra o corão ou Maomé. Quando Asia foi informada sobre a iniciativa, reagiu emotivamente e disse estar feliz porque o mundo inteiro vai rezar pela sua causa.

Asia agradeceu ainda à Fundação Masihi, que cuida de sua assistência legal, por promover o dia de oração:

"Estou agradecida à fundação por ter organizado tal evento, que me dá esperança para viver. Sinto-me amada pela Igreja Católica e por todas as comunidades cristãs do mundo. Estou orgulhosa de ser filha de uma comunidade tão amável e misericordiosa", afirmou Bibi em declarações reunidas pelo portal Canção Nova Notícias.

E ao desejar a paz ao mundo, Asia Bibi agradeceu ainda ao Papa Bento XVI e a todos os religiosos que rezam por ela. "Espero de todo o coração que esta Quaresma e todas as orações possam me ajudar a conquistar a liberdade e felicidade à minha família", acrescenta.

O conselheiro especial para as Minorias Religiosas no país e irmão do ministro assassinado, Shahbaz Bhatti, o católico Paul Bhatti, confirmou sua adesão ao Dia de Oração pela paquistanesa e garantiu também a sua oração pessoal e seu compromisso em trabalhar junto ao governo do Paquistão e às minorias religiosas para encontrar uma solução e evitar que, no futuro, haja mais vítimas por causa da polêmica lei.

Caros amigos do Tocando o Céu, convido a todos a oferecermos a Deus as nossas orações por esta nossa irmã que está sofrendo por amor a Jesus. Embora presa numa cela e sofrendo de uma doença na pele, justamente por causa da precariedade da cela, ela decidiu fazer o jejum da Quaresma. Embora tenham tentado fazer com que ela desistisse do jejum, por causa de sua saúde, ela decidiu continuar e ofereceu seus sofrimentos pela Igreja, por cada um de nós. Eis suas palavras: "nesta Quaresma quero orar e jejuar pela paz e pela justiça. Quero oferecer meu sofrimento a Deus para estar mais perto Dele. Desejo agradecer a todos os que estão orando por mim, em todo mundo; sinto seu apoio. Quero dizer a todos que eu também rogo por eles e os encomendo ao Senhor, que é Deus da Providência. Peço ao Papa e a todos os cristãos que sigam rezando por mim". É um exemplo para todos nós.

Peçamos a Deus por ela e por todos aqueles nossos irmãos que estão sofrendo perseguição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário